ptarzh-CNenfrdeitjarues

Estudo da TI Safe sobre ataques cibernéticos no setor elétrico é destaque na Capital Digital

Avalie este item
(1 Voto)
Quarta, 12 Agosto 2020 09:17


Desde o início da pandemia, tentativas de invasão aumentaram 460%

 

Grafico invasoes

Tentativas de acesso indevido registradas pelo ICS-SOC (por semana)

Em entrevista ao jornalista Luiz Queiroz da Capital Digital, Leonardo Cardoso, diretor regional da TI Safe para Norte, Nordeste e Centro Oeste, conta que, o Brasil registrou aumento expressivo de ataques cibernéticos durante a pandemia, especialmente no setor elétrico.

Como já reportado pela agência Reuters, desde meados de março, quando o vírus chegou com maior força ao território brasileiro, a TI Safe vem monitorando o comportamento das tentativas de invasão nas redes dos clientes do setor elétrico. Entre março e junho, a empresa verificou um amento de 460% nos casos de ataques cibernéticos (apenas às redes de tecnologia da informação (TI), e não às redes de automação (TA)). O fenômeno está associado à migração em massa de companhias para regimes de trabalho remoto, com funcionários em casa, o que aumenta a vulnerabilidade das redes corporativas.

Os recentes ataques registrados no setor elétrico tiveram como objetivo a cobrança de resgate, sendo classificados dessa forma como sequestros de infraestruturas. Contudo, como lembrou o jornalista Luiz Queiroz durante a conversa com o diretor da TI Safe, como o setor elétrico é uma das atividades de missão crítica mais sensíveis em qualquer país (se parar a energia, tudo para) seria o alvo potencial em uma guerra cibernética. Por isto, na avaliação de Cardoso, os ataques no Brasil também podem ser considerados um teste na infraestrutura do sistema nacional de distribuição. Confira o vídeo da entrevista na íntegra. 

 

 

Lido 342 vezes Última modificação em Quarta, 12 Agosto 2020 10:04

Copyright © 2007-2020 - TI Safe Segurança da Informação - Todos os direitos reservados.